Datas Família Finanças Meio Ambiente Mensagens Outros Pensamentos Relacionamentos Vídeos

Vítimas de nós mesmos

23/11/2010


Amigos!!

Quantas vezes já dissemos: aquela pessoa me tirou do sério, aquela pessoa me fez perder a paciência. Mas será que nada podemos fazer em relação a situações assim?
No dia de hoje trago uma mensagem que nos faz refletir esse ponto em nossas vidas.

Reflitam!!

Quantas pessoas do nosso convívio conseguem nos tirar do sério? Quantas pessoas que conhecemos, conseguem nos fazer perder a paciência?

Frequentemente usamos dessas expressões para justificar nossa descompostura ou desequilíbrio, ao culpar fulano ou beltrano.

Agora nos resta perguntar por que alguém consegue fazer-nos perder a paciência, ou por que alguém é capaz de provocar uma mudança em nossa atitude.

E esses nossos descontroles cotidianos acontecem em qualquer ambiente. Algumas vezes na família, outras tantas no trabalho. Ou, ainda, nas corriqueiras relações sociais.

E sempre estamos a justificar que a culpa é de alguém. Sempre estamos prontos a explicar que se não fosse essa ou aquela pessoa agir desta ou daquela forma, nada disso aconteceria.

Colocamos a culpa do descontrole em alguém, em algo e, ao nos tornarmos vítimas da situação, nada nos resta a fazer, pois afinal, o problema está nos outros e não em nós.

Mas, será que somos apenas reféns das situações, e realmente nada podemos fazer a não ser reagir a elas?

Lembremo-nos da última contenda, da última discussão na qual nos envolvemos. Nada poderíamos ter feito para evitá-la? Nada estava ao nosso alcance para que a situação fosse minimizada?

Recordemo-nos do nosso último desentendimento familiar. Será que a maneira como agimos e nos comportamos realmente era a única possível?

Ao fazermos essa breve análise, claro fica que poderíamos ter tido outras atitudes.
Poderíamos nos calar em algum momento, ao invés de soltar a palavra ácida e corrosiva.

Poderíamos buscar o entendimento ao invés da provocação. Poderíamos suavizar o tom de voz ao invés dos arroubos no falar.

Porém, se optamos por agir de outras maneiras, não foi culpa de ninguém, nem de situação nenhuma. Foi apenas uma opção pessoal.

Poderíamos ter pensado antes de falar, refletido antes de agir, mas preferimos a reação à ação. Enquanto a reação é irrefletida e calca-se nos instintos, a ação é atitude pensada e amadurecida na reflexão.

Desta forma, ao dizer que perdemos a paciência, ao constatar que saímos do sério, somos responsáveis por essas atitudes. E, apenas vítimas de nós mesmos.
Jamais poderemos justificar que alguém nos faz perder a paciência. Ao contrário, somos nós que não temos a paciência suficiente para a situação que se apresenta.

Ou ainda, de maneira nenhuma poderemos acreditar que algo ou alguém nos faz sair do sério, nos faz perder a compostura.

A atitude tomada é sempre uma opção de cada um que, perante tal ou qual situação, não consegue ou não quer comportar-se de maneira mais digna ou melhor.

Assim, não mais nos permitamos ser vítima de nossas próprias atitudes ou reações.
Reflitamos antes do agir, pensemos mais detidamente antes de falar e, acima de tudo, compreendamos que todas as nossas relações sociais, por mais difíceis que nos pareçam, são lições abençoadas no aprendizado do amor ao próximo.

Redação do Momento Espírita.

Queridos amigos!! Que possamos fazer uma reflexão com essa mensagem e ver que não podemos culpar os outros, pois muitas vezes somos vítimas de nossas próprias atitudes, de nossas próprias ações. Perder a paciência, estourar não vai resolver, por mais que a outra pessoa esteja completamente errada. Que possamos agir com cautela, como dizem respirar fundo e tentar resolver as situações com muita serenidade.

Um forte abraço!!
Velho Sábio!!
Veja também:
Lição de felicidade
Aja com calma
A importância do entusiasmo
Ser grande não é questão de tamanho, e sim de atitude
O estresse
2 comentários para "Vítimas de nós mesmos"

24/11/2010  16:50:26
Enviado por marcia barbosa de sousa
realmente podemos agir com mais serenidade e evitar possiveis desentendimentos ou magoas

24/11/2010  14:33:02
Enviado por Vera Lucia
Querido amigo
Velho Sábio
Algum tempo acompanho essas mensagens,nunca uma se serviu tão bem como a de hoje.nascida e criada em SP.mudei para o interior de sampa a nove meses estou voltando amanhã para meu habitar onde não sei se digo devia ter saído?,sim ou não?porque viemos?..minha filha mora muito bem aqui,pra nós aqui não deu muito certo,meu marido ia para o trabalho todos os dias em sampa eu aqui em uma lojinha.volto sem meu carro,meu marido stressado,ontem cancelaram um pedido de 20.0000 de comissão dizem que não dá tempo de entregar,ele diz tudo aquilo que li.amigo
acredito até que qdo foi chegando o desespero ele mesmo foi se afundando.amigo estou desesperada,sempre estudei o espiritismo sou kardecista,amo estudar mas meu marido não.Me deixei fiquei frágil amigo,energia zero to aqui nos meus banhos de mel,cidreira etc.etc.pra acalmar.e que eu entre em minha terrinha SAMPA Mago com o pé direito AMÈM.

Deixe seu comentário
   
  * Obrigatório
Seu nome:*
E-mail:*
Cidade:*

Mensagem:*

caracteres:
  Captcha

   
   
   

Administração do Portal